E haja chuva!

16 04 2009

O açude Gargalheiras, lá no Seridó Potiguar, está sangrando. As estrofes são dos poetas Rogério e Chico Alves e a foto é de Hugo Macedo.

gargalheiras_2009

“Vou pra ver o açude botar cheia
Que o sertão quando chove é um encanto
O volume da água aumenta tanto
Que a garganta da serra se aperreia
O trovão estremece, o céu clareia
O açude transborda, a mata cheira
Sopra o vento, as estradas sem poeira
Rio cheio, sol frio e flor no prado
O açude está cheio, o chão molhado
Vou voltar pro sertão segunda-feira”.

“No início o carão deu um aviso
Uma nuvem rasgou-se e fez inverno
E o sertão que sem água era um inferno
Num minuto tornou-se um paraíso
E nós vamos tirar o prejuízo
Desses anos de seca e quebradeira
Vamos ter nos festejos da fogueira
Milho verde, canjica e bode assado
O açude está cheio, o chão molhado
Vou voltar pro sertão segunda-feira.”


Ações

Information

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: