O baobá, gigante vegetal

27 09 2009
Os baobás da Lagoa do Piató, em Assu-RN.

Os baobás da Lagoa do Piató, em Assu-RN.

Andei um dia desses falando aqui sobre as árvores, comemorando o seu dia; aí hoje me lembrei de uma paixão que tenho por uma árvore muito especial: o baobá, que é uma árvore sagrada para muitas culturas. Sua altura descomunal e sua circunferência avantajada o tornam um gigante entre as outras espécies, elevando-o a objeto de culto entre as tribos da África, de onde parece ser nativo. Para essas culturas, não é somente uma árvore: é portadora de uma grande e poderosa energia, e em muitas comunidades é considerada um “espírito protetor”.

Somente no Rio Grande do Norte existem, catalogados, dez baobás, sendo que sete deles se encontram no município de Assu, na fazenda Curralinho, às margens da lagoa do Piató. Existe mais uma dessas árvores em Jundiaí, outra em Nísia Floresta – cuja idade real provavelmente é muito maior do que aquela que está registrada na placa que existe na árvore – e o famoso “Baobá do Poeta”, que o poeta e advogado Diógenes da Cunha Lima em boa hora salvou do sacrifício comprando o terreno onde a árvore “residia” quando o proprietário, querendo construir no local, ameaçava derrubar a árvore.

O prof. John Rashford e o poeta Diógenes da Cunha Lima. Atrás, o "Baobá do Poeta".

O prof. John Rashford e o poeta Diógenes da Cunha Lima. Atrás, o "Baobá do Poeta".

Diógenes comprou a área, mandou cercar e tomou o baobá como seu filho adotivo. Ele lá está na rua São José, quase na esquina da Avenida Alexandrino de Alencar. Sempre passo por ali para ver como vai a imponente árvore e você que está lendo, se planeja visitar Natal, não deixe de ver essa preciosidade. Não sou botânica, nem agrônoma, mas amo as árvores e elas se entendem muito bem comigo. O baobá me disse, da última vez que passei por lá, que está tudo bem, embora esteja atravessando um período de seca, natural numa espécie acostumada com os rigores do clima africano.

Por conta desse meu amor pelas árvores, fotografei os baobás de Assu e coloquei-os no meu site. Lá, eles foram descobertos pelo professor John H. Rashford, da Universidade de Carolina do Sul nos Estados Unidos. Esse cientista é especialista em baobás e árvores sagradas, e estava para fazer um levantamento dos baobás existentes na América Latina e Caribe. Viu os baobás do Rio Grande do Norte no meu site, e veio parar aqui em Natal onde peregrinamos durante dois dias, sob os auspícios de Diógenes da Cunha Lima, medindo e fotografando todas essas árvores. Segundo o Dr. Rashford, o “baobá do poeta”, o filho adotivo de Diógenes, aquele mesmo que está aqui bem pertinho de nós é o segundo maior da América Latina e Caribe.

O Prof. Rashford mede a circunferência do "Baobá do Poeta".

O Prof. Rashford mede a circunferência do "Baobá do Poeta".

Então, minha gente, uma vez atualizados os nossos conhecimentos sobre o baobá, eu vou aproveitar a manhã para fazer uma visita à árvore, com calma, matando as saudades, como se estivesse visitando um parente muito velho, com muita coisa para me ensinar. Vou permanecer em silêncio ao lado desse gigante vegetal, regular o meu vermelho e agitado coração com o verde e calmo coração da planta e deixar brotar em a coragem dos chefes guerreiros que, nos tempos primitivos, eram sepultados de pé, com todas as suas armas, nas fendas da árvore. E sei que vou ficar feliz de pertencer a um mundo que nos dá de presente tantos e tão inusitados prodígios.

Anúncios

Ações

Information

9 responses

27 09 2009
Iran Farias Cavalcante

Aqui em Fortaleza há um baobá no Passeio Público (a Praça dos Mártires, antigo Campo da Pólvora, onde foram fuzilados os heróis de 1824). Foi plantado pelo Senador Alencar, no século XIX.

6 11 2009
Maria Neta Peixoto de Lima

Baobá, árvore considerada sagrada, em muitas culturas. Origem africana ao te contemplar confirmamos o símbolo de resistência que és… Jundiaí – Macaíba (RN) tem uma. Cuidado, muito cuidado, esse grande porte, esse gigante também é mortal mesmo vivendo até 6.000 anos, e depois onde vamos encontrar? (A humanidade continua e precisa de testemunhas vivas da história)

10 11 2009
Adimilson Ferreira

Adoro ver BAOBA. Tenho um terreno e gostaria de plantar uma preciosa muda. Onde posso encontrar.

10 11 2009
Clotilde Tavares

Admilson, eu não sei sequer onde vc mora. Mas procure o IBAMA da sua cidade, geralmente eles têm mudas para vender, e é baratinho.

4 02 2010
Sônia Furtado

Olá.
Gostaria de saber como chegar até a fazenda Curralinho. Já fui uma vez à Assú com um amigo fotógrafo que queria fotografar os baobás, mas ninguém na Cidade soube nos informar como chegar lá.
Obrigada.

Sônia

17 02 2010
Noel Bispo dos Santos

Tenho muito interesse em adquirir sementes de BAOBÁ para plantá-las.

17 02 2010
Noel Bispo dos Santos

Adquirir sementes de baobá para seu cultivo.

19 02 2010
heloisa

Estive em Natal Em 16 FEV 2010 e tive o privilegio de tirar uma fotoao lado do Baobá, muito lindo fiquei maravilhada, se voce quiser entre em contato comigo que lhe mando a foto, o baobá está muito bonito

19 12 2012
O Grande Príncipe « Árvores de Natal

[…] louvada em verso e prosa por literatos, visitada por figuras ilustres, incluindo o sobrinho de Saint-Exúpery, e pivô de mais uma das […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: